O essencial papel dos pais


A partir do momento que se sabe que se vai ser pai a vida muda para sempre. Ser pai é um desafio presente, e persistente no tempo. Ao longo da vida muitos desafios se irão colocar aos progenitores nas diferentes etapas do crescimento dos seus filhos.

Saúde, educação, convivência social, amizades, desporto, namoros,… são um sem número de inquietações que os atormenta. A maioria dos pais geralmente é mais permissiva que as mães, contudo as preocupações são comuns, manifestam-se é de modo diferente.
Março é o mês do dia do Pai e comum os filhos dedicarem especial atenção ao seu pai. Já reparaste como tem andado o teu pai recentemente? Preocupado? Ansioso? Feliz? Bem disposto? Cansado? Desleixado? …?
O pai, ainda é geralmente,  responsável por dar limites e soltar as amarras dos filhos. A mãe tem uma tendência natural para proteger demasiado, transmitindo-lhe valores como acolhimento e protecção. Já o pai estimula a independência dos filhos e corta o excesso de protecção da mãe. Dar limites é, também, uma importante demonstração de amor, já que sem eles os filhos ficam perdidos.
Contudo os pais também amamentam. Amamentam o ego, amamentam relações fortes, amamentam vínculos de amizade e respeito duradouros, amamentam modelos educativos e amamentam valores de referência!
Ser pai é um privilégio sublime mas também uma enorme responsabilidade. Não basta alimentar os filhos, é fundamental educá-los e prepará-los para a vida. Um pai à séria é um Homem que faz a diferença na vida dos filhos, é exemplo para eles. Vive o que ensina antes de transmitir algo aos seus filhos; não só ensina o caminho a seguir como também os ensina no caminho, fazendo toda a diferença.
 Precisamos de pais que sejam modelos de honestidade, idoneidade, seriedade, competência, dedicação e disponibilidade para os filhos. Precisamos de pais que sejam homens de valor!
Aquele abraço a todos os pais, e permitam-me, em especial ao meu!
Renato Paiva